DF: Rodoviários de cooperativa param por duas horas por cesta básica

Rodoviários da Cootarde – cooperativa que atende as regiões administrativas de Ceilândia e Taguatinga – fizeram paralisação por duas horas na manhã desta terça-feira (14) para cobrar o pagamento da cesta básica, de R$ 193,53. De acordo com o sindicato da categoria, o ato teve adesão de cem funcionários. A empresa diz que não tem recebido valores referentes ao Passe Livre Estudantil e transporte de deficientes há 70 dias. O G1 procurou o DFTrans, mas não recebeu retorno até a publicação desta reportagem.

A presidente da cooperativa, Marlene Francisca Alves Chagas, disse que 80 ônibus deixaram de rodar no período. O ato aconteceu no mesmo dia em que metroviários, que rodam em Taguatinga e Ceilândia, cruzaram os braços.

“Tenho outros cem ônibus que já estão fora de uso por novos contratos ou por estarem velhos. Nós já acertamos o débito das cestas básicas com os trabalhadores e tudo voltou ao normal após duas horas.”

A mulher diz que os atrasos nos repasses atrapalha as atividades e o pagamento em dia dos funcionários. Diretor do Sindicato dos Rodoviários de Cooperativas de Micro-ônibus, Diógenes dos Santos disse que os salários estão atrasados há nove dias.

“Eles recebem todo dia 5, já estamos em 14 de junho. Eles falam que estão sem dinheiro em caixa por culpa do governo, que não conseguem regularizar a situação agora. Caso os pagamentos demorem a sair, vamos organizar algumas paralisações”, afirmou o diretor.

Um motorista de cooperativa recebe como salário R$ 1.171. Um cobrador, R$ 880. Ao todo, o Distrito Federal possui três mil funcionários trabalhando em cooperativas; a Cootarde, 800.

Fonte: G1 DF