DF: Passageiros quebram vidros e andam por trilhos do metrô após falha

Passageiros do metrô quebraram vidros e caminharam pelos trilhos na manhã desta quarta-feira (22) depois de um trem apresentar falha elétrica perto da Estação Arniqueiras, em Águas Claras, no Distrito Federal. De acordo com a empresa, a falha ocorreu depois de a vegetação próxima aos trilhos começar a pegar fogo, mas as ocorrências não estão relacionadas. Com o incidente, o sistema fechou antes do horário estipulado pela Justiça por causa da greve dos metroviários – 9h.

O incidente causou pânico entre os usuários. As portas dos vagões levaram ao menos 15 minutos para serem abertas pelos funcionários da companhia. Uma mulher chegou a desmaiar e várias pessoas passaram mal. O Corpo de Bombeiros disse que atendeu e transportou apenas uma pessoa, com insuficiência respiratória, para o Hospital Regional de Taguatinga.

O problema ocorreu a cerca de 500 metros da estação, no primeiro vagão, exclusivo para mulheres. "Um absurdo. Ia morrer umas cem mulheres. Ia morrer todo mundo", disse a analista da Embratel Érica de Souza.

Ela disse que ninguém da empresa explicou o que aconteceu. "Levaram 15 minutos para abrir a porta de emergência." Érica disse ter visto duas meninas caídas no chão.

A passageira Elaine Cristina disse ao G1 ter ouvido uma explosão pouco antes de o trem parar. Logo depois, ocorreu um novo barulho seguido de labaredas do lado de fora do trem.

O Metrô afirmou que vai disponibilizar ônibus para que os passageiros cheguem até a Rodoviária do Plano Piloto, onde fica a Estação Central. Na Estação Samambaia Sul, um funcionário da empresa avisou aos passageiros que devolveria o dinheiro das passagens.

Por causa da interrupção do serviço, várias estações foram fechadas. Em Arniqueiras houve bate-boca entre passageiros e funcionários. Uma servidora tentava explicar que a interrupção não estava relacionada à greve dos metroviários, iniciada na semana passada. A Polícia Militar foi acionada, mas logo depois as portas da estação foram abertas e o local, esvaziado.

Ela disse que passageiras acionaram o dispositivo de segurança para abrir as portas, mas ele não funcionou. "Houve gritaria e pânico. Histeria mesmo no vagão feminino", afirmou.

O Metrô circula nas regiões mais populosas do DF – Ceilândia, Taguatinga e Samambaia. Ele também passa por Águas Claras, Guará e Plano Piloto. O sistema tem 42,3 quilômetros de extensão e atende 170 mil pessoas por dia. A estação com maior fluxo é a da Rodoviária do Plano Piloto.

Paralisação

Metroviários entraram no dia 14 de junho para pedir a convocação dos aprovados em concurso em 2014 e reposição da inflação anual na data-base (pouco mais de 9%). Conforme determinação da Justiça, o sistema deve funcionar nos horários de pico: das 6h às 9h e das 17h às 20h30.

Com isso, são 24 trens em circulação e todas as estações ficam abertas para embarque e desembarque no período. A decisão é do Tribunal Regional do Trabalho, que prevê multa de R$ 100 mil por dia em caso de descumprimento.

Fonte: G1 DF