DF: Com impasse, greve do metrô aguarda decisão da Justiça

Ainda não há qualquer previsão de que a greve dos servidores do metrô chegue ao fim. Como os rodoviários também já têm marcada uma paralisação total para quinta-feira e acenam com greve geral, com assembleia marcada para o próximo domingo, brasilienses que necessitam do transporte público podem enfrentar dificuldades ainda maiores nas próximas semanas.

De acordo com o presidente do Sindmetrô, Quintino Sousa, a categoria não tem agendado nenhum encontro com o GDF e aguarda decisão do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) sobre a legalidade do movimento. O Metrô-DF recorreu à justiça trabalhista para que os servidores voltem ao trabalho, mas o julgamento ainda não tem data para acontecer.

“Ainda estão correndo os prazos para manifestação das partes e do Ministério Público no processo. Depois disso, será designado um desembargador relator e, somente após, é que ação poderá ser colocada na pauta de julgamento”, destacou nota oficial do TRT. Em sua defesa, já apresentada, o Sindmetrô contestou as alegações do GDF de que não há base para a greve. “O movimento é legal e temos todo o motivo para sua deflagração”, destacou Quintino.

O sindicato sustenta que está sensível à proximidade da greve dos rodoviários, mas que não prejudicará tanto a população. porque o metrô continua funcionando normalmente, mas só nos horários de pico (das 6h às 9h e das 17h às 21h).

Os metroviários pedem reajuste de 10% e convocação de aprovados em concurso, mas o governo se diz impedido pela LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

Fonte: Jornal Metro Brasília