Goiânia: Sem sinalização, caos toma conta de avenida no Jardim Nova Esperança

Comerciantes do Jardim Nova Esperança, em Goiânia, reclamam do trânsito congestionado do bairro, onde, no horário de pico, fica difícil até atravessar a rua. O problema maior está na Avenida Central, que tem mão dupla, é estreita e cercada de estabelecimentos comerciais. A via liga a Avenida Perimetral Norte e a Rua Lago Azul, que dá acesso aos bairros Jardim Colorado, Bairro Floresta e Brisas da Mata.

A vendedora Roseli Alves, de 46 anos, trabalha em uma loja na avenida e conta que é quase impossível transitar no local em horário de pico. “Fica tudo congestionado e isso acaba atrasando a nossa vida”, reclama.

Ao longo de dois quilômetros, a avenida possui três semáforos com faixas de pedestres, mas apagadas. “As ruas são estreitas, os carros ainda estacionam, tinha de ter mais faixas de pedestres, mas faixas decentes”, diz o eletricista Luiz Alberto Ferreira, de 28 anos, enquanto atravessa a rua fora da faixa, que está distante.

No cruzamento entre a Rua Ana Maria, utilizada por quem vem do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), e a Avenida Central, os comerciantes reclamam que os motoristas não respeitam a sinalização, que também está apagada. “Quem vem da Ana Maria [rua] às vezes entra na Central [avenida] e nem olha para saber se tem carro, acaba batendo”, relata a lojista Ediane Alves da Silva, de 34 anos.

O estabelecimento fica na esquina próxima. Ediane conta ainda que no local ocorre pelo menos um acidente por semana e cobra sinalização: “Aqui precisa de um sinaleiro que obrigue o motorista a parar e prestar atenção no transito. É um trecho muito perigoso”.

Em nota, a Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT) informa que a sinalização no local será refeita e o projeto de sinalização com semáforos já está pronto, mas dependem de intervenções da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra): readequação de calçadas, raios de giro e implantação de meio fio. Segundo a SMT, o local será fiscalizado nos próximos dias. Por telefone, a assessoria da Seinfra afirma que ainda não foi acionada pela SMT.

Fonte: O Popular