Goiânia: Metrobus não tem previsão para câmeras em ônibus do Eixo

A Metrobus, empresa estatal responsável pelo Eixo Anhanguera e suas extensões, ainda não tem previsão de quando seus veículos que operam em Goianira, Trindade e Senador Canedo receberão câmeras de segurança. Os sistemas já foram instalados em plataformas de embarque e terminais que compõem o Eixo. As extensões utilizam pontos de embarque nas rodovias, ainda sem estrutura para as câmeras. O problema é um dos que devem ser resolvidos em conjunto com a Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC).

Para a Metrobus, o problema da segurança pública só seria resolvido em parceria com as entidades competentes. Desde novembro, a Guarda Municipal Metropolitana (GCM), de Goiânia, tem auxiliado nas ações nos terminais e plataformas, não chegando às rodovias. O presidente da Metrobus, Marlius Braga Machado, explica que o Eixo possui 13,8 quilômetros, mas que, com as extensões para municípios vizinhos, o trajeto percorrido chega a cerca de 70 quilômetros.

Machado diz que a empresa não entende as extensões do Eixo como casos à parte na questão da segurança pública na região metropolitana de Goiânia, sendo os casos tão recorrentes e perigosos como em outras linhas. “Por mais que nos esforcemos, não conseguimos atuar em todas as situações. Tentamos oferecer o melhor serviço para o usuário, o que inclui a segurança”, afirma. O entendimento do executivo é que as medidas para evitar os crimes deveriam vir de uma política de segurança pública.

Em nota, a Secretaria Estadual de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), informa que, a Polícia Militar (PM) “desenvolve ação permanente em benefício dos usuários do transporte coletivo na região metropolitana”. Há programas como o “Eixo Anhanguera Seguro” e o “Bom Dia Cidadão”.

A SSPAP diz haver ações diárias e simultâneas do Batalhão Rodoviário nas extensões, onde são feitas, cotidianamente, detenções nos ônibus e terminais. Um dos problemas, para o órgão, é a soltura em curto prazo de suspeitos de furtos e roubos.

Fonte: O Popular