Goiânia: Alegria e bom ânimo nas primeiras horas do dia

O dia começa muito cedo para quem atravessa a cidade com destino ao trabalho usando o transporte coletivo. Enquanto a rotina dos usuários rompe, motoristas já estão a postos para o trabalho. Já pensou entrar em um ônibus, na primeira viagem, e ver o condutor entrar no veículo, ir até a catraca e dizer “bom dia, pessoal!” e a maioria lhe responder?

Esse é um privilégio dos passageiros da linha 031, que sai do Terminal Garavelo, em Aparecida de Goiânia, em direção ao Terminar Araguaia. O motorista é Robson José da Silva, 43, conhecido como Robson “Bom dia”. Os colegas também o chamam de “Rick”, por causa da semelhança física com o cantor da dupla sertaneja Rick e Renner. Mas o diferencial está no relacionamento com os clientes.
Além do cumprimento coletivo no início da viagem, cada passageiro que entra em um ônibus da HP Transportes em que Robson é motorista recebe uma saudação. A atitude chamou atenção dos usuários que postaram nas redes sociais fotos do motorista com elogios e congratulações. Um vídeo que a empresa fez com Robson e postou no Facebook há uma semana já tem 189 compartilhamentos, 236 curtidas e 6,9 mil visualizações.

Robson contou à reportagem do O HOJE que várias pessoas estranhavam sua atitude no início, mas agora muitos já lhe conhecem. O motorista diz que muitos respondem sua saudação. Outros passam pela catraca e questionam em voz alta “ele é maluco?”, mas os conhecidos respondem que “é educação”.

Atitudes

O motorista afirma que a prática vem da forma como foi criado. Natural de Recife, em Pernambuco, Robson diz que no Nordeste é comum as pessoas se cumprimentarem dentro dos ônibus. Ele começou o trabalho como motorista na cidade em 2002 e mudou-se para Goiânia em 2012, a convite de diretores da empresa que trabalha hoje.

Casado há 17 anos e com dois filhos, Robson estudou até a 6ª série (7º ano) e afirma que ama o trabalho que realiza. “Antes eu gostava, hoje eu amo. É muito gratificante. Até quando é minha folga, eu acordo na hora de vir trabalhar. Pode ser estressante para algumas pessoas, mas como eu faço com prazer e alegria, não existe tensão”, afirma o motorista.

A animação de Robson contagia os colegas. João Geraldo Silva, 53, por exemplo, é motorista há 29 anos e amigo de Robson. “Ele é como um irmão para mim. Todos o admiram no trabalho por causa da simpatia e educação”, diz João, que faz a linha 020, um dos itinerários mais longos do transporte da Região Metropolitana de Goiânia.

Análise

O monitor de desempenho de motorista da HP Transportes, João Lúcio, é responsável pelo acompanhamento e orientações aos funcionários. De acordo com ele, as empresas aconselham os motoristas a tratarem os clientes com muita educação. Lúcio lembra que a profissão pode ser considerada estressante por diversos motivos, mas principalmente em relação ao trânsito.

A trainer master coach Sheila Costa afirma que a felicidade do profissional em relação à função desempenhada depende do prazer que ele sente naquilo que é feito, e não do tipo de trabalho. “A sociedade não diz quem é bem sucedido e sim a própria pessoa. Existem muitas pessoas com ensino superior completo que estão frustradas, e outras que possuem pouca escolaridade e estão felizes com a rotina de trabalho”, lembra a especialista.

Fonte: O Hoje