DF: Metrô sem perspectiva de crescimento

A tão aguardada expansão do metrô do Distrito Federal parece não sair do papel. Ainda não foram liberados os recursos para a ampliação de 6,6 km de via e construção de cinco novas estações – duas em Ceilândia, com 2,3 Km de via; duas em Samambaia, com 3,7 km de via; e 800 metros na Asa Norte (Área Central até as proximidades da Galeria do Trabalhador).

Prevista para setembro de 2015, a assinatura da ordem de serviço que permitiria o início das obras da primeira estação da Asa Norte, acabou não ocorrendo. Também prometida, a licitação para a termino das estações das quadras 104, 106 e 110, todas na Asa Sul, também não foi aberta.

De acordo o Metrô-DF ainda não foi liberada a verba para o início das obras de expansão. “Ainda estamos aguardando recursos do Governo Federal”, afirma. A verba de mais de R$ 750 milhões será disponibilizada por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A instituição salienta que sem a liberação do valor não é possível fazer o cronograma.

Segundo o órgão, está previsto para o mês que vem a licitação para o estudo geológico para as novas estações na Samambaia. As futuras obras de expansão serão um passo a mais na conclusão da linha 1 do Metrô-DF, que liga a Zona Central de Brasília às cidades de Ceilândia e Samambaia, passando pelo Guará, Águas Claras e Taguatinga e Asa Norte.

O metrô de Brasília é o quarto maior do Brasil. Atualmente tem 24 estações em funcionamento, e uma frota de 32 trens, que transportam em média 160 mil passageiros por dia. Toda a via tem extensão de mais de 42 km.

Fonte: Da redação do Alô Brasília