DF: Com financiamento liberado, reforma da Rodoviária do Plano Piloto será continuada

O governo de Brasília recebeu parte da segunda parcela do financiamento de R$ 500 milhões — calculada em R$ 240 milhões —, fechado com o Banco do Brasil em janeiro de 2015. São R$ 99,4 milhões que serão distribuídos para investimentos da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos; da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap); da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb); da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab); e do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). O recurso permitirá começar ou concluir importantes obras nos próximos meses.

A maior fatia destina-se a obras coordenadas pela Secretaria de Infraestrutura, que recebeu, com a Novacap, R$ 37,1 milhões. Para escolher as prioridades a serem executadas com esse dinheiro, o secretário Julio Cesar Peres conta que foram considerados serviços essenciais referentes a manutenção e a drenagem, por exemplo. Entre as intervenções estão a recuperação estrutural de viadutos na área central do Plano Piloto e a continuação da reforma na rodoviária.

Todas as regiões administrativas receberão alguma melhoria. São serviços como construção e recuperação de calçadas com acessibilidade, recapeamento e colocação de meio-fio. A ideia é que, no caso do asfalto, não ocorram apenas operações tapa-buracos, mas que ele seja refeito quando houver necessidade.

Para o projeto de calçadas acessíveis em rotas de ligação entre equipamentos públicos importantes, como hospitais e estações de metrô, serão liberados, a princípio, R$ 5 milhões. Peres explica se tratar apenas de um início e adianta que haverá mais investimentos no futuro. “São obras essenciais, que trazem dignidade à população.”

Drenagem

Programa que vai redimensionar a rede de águas pluviais do Plano Piloto e de Taguatinga, o Drenar DF deve ser iniciado em maio. A iniciativa depende da assinatura da ordem de serviço e chegará primeiro à Asa Norte. Segundo o secretário de Infraestrutura, o trabalho de drenagem será constante e abrangerá toda a cidade. “Mesmo que de forma pontual, percebe-se que o serviço é necessário em todas as regiões administrativas.”

A secretaria ainda investirá R$ 4 milhões na construção de um viaduto na Estrada Parque Indústrias Gráficas, na altura da saída do Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek para o Sudoeste. O elevado fará parte das obras para a implementação do corredor Eixo Oeste — via exclusiva para passageiros de regiões administrativas como Ceilândia, Guará e Taguatinga. A verba destinada à pasta também tornará possível dar continuidade a obras de manutenção asfáltica no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento e à finalização da pista de caminhada de 11 quilômetros do Parque da Cidade.

Água tratada

Com R$ 26,8 milhões da segunda parte do financiamento, a Caesb vai investir nas obras do Sistema Produtor de Água Corumbá 4. As intervenções começaram há pouco mais de cinco anos e recebem dinheiro também do Programa de Aceleração do Crescimento, do Executivo federal. Trata-se de um consórcio entre os governos de Brasília e de Goiás, em que cada um ficou responsável por parte do sistema, que dividirá a água tratada entre as duas unidades da Federação.

A previsão é que, depois de pronto, ele aumente em 30% a oferta de água em Brasília. Serão beneficiados Park Way, Riacho Fundo II, Recanto das Emas, Santa Maria, Gama e cidades da região sul do Entorno.

Residenciais

Moradores de empreendimentos da QN 18 à QN 34, no Riacho Fundo II, e das Quadras 117/118 do Recanto das Emas também receberão benfeitorias, dessa vez promovidas pela Codhab. A companhia investirá R$ 6,2 milhões em obras de drenagem e pavimentação.

O DER ficará com R$ 29,3 milhões, reservados, por exemplo, à contratação de projetos executivos para os corredores Eixo Sudoeste (que atenderá regiões como Samambaia, Recanto das Emas e Riachos Fundos I e II) e Eixo Norte (para ligar o terminal de ônibus de Planaltina ao da Asa Norte). A verba também custeará ciclovias no Gama e na Estrada Parque Taguatinga e a restauração do Pistão Sul, em Taguatinga.

Empréstimo

O financiamento de R$ 500 milhões com o Banco do Brasil foi contratado em 29 de janeiro de 2015. O montante ficou dividido em duas parcelas — uma de R$ 260 milhões, liberada no ano passado, e outra de R$ 240 milhões, para ser executada após validar a prestação de contas com o banco, em fase final. A liberação dos valores restantes deve ocorrer nos próximos meses.

Balanço

Das 106 obras previstas com a primeira parcela do empréstimo, 53 foram concluídas. Outras 22 estão quase finalizadas e 14, mais de 50% executadas. Apenas 17 intervenções têm menos da metade pronta.

Fonte: Agência Brasília