Goiânia: Prefeitura inicia segunda etapa da ciclovia da T-63

Prefeitura inicia segunda etapa da ciclovia da T-63

A segunda etapa de construção da ciclovia da Avenida T-63 foi iniciada pela Prefeitura de Goiânia na segunda-feira, 29. Este novo trecho terá 2,2 quilômetros de extensão e ligará a Praça Nova Suíça ao Terminal Isidória, no setor Pedro Ludovico. Com esta etapa, o prefeito Paulo Garcia vai concluir o trecho cicloviário da avenida T-63, que integra o corredor preferencial de ônibus.

A obra está sendo executada por meio de parceria entre as equipes da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), das secretarias municipais de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT) e de Infraestrutura (Seinfra) e da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg).

O secretário de Infraestrutura, Washington Ramalho, conta que a Seinfra fornece o material necessário e a execução está a cargo da Comurg e da SMT. Segundo o secretário de Trânsito, Andrey Azeredo, o projeto respeita os padrões de sinalização de ciclovias e a previsão é de que este novo trecho da ciclovia seja concluído em 90 dias.

Equipe de 60 servidores da Comurg trabalha no local retirando a grama do canteiro central para a implantação da ciclovia. O presidente da Comurg, Edilberto Dias, diz que toda a grama será reaproveitada. “Parte da grama removida temporariamente será reutilizada para a composição da área de proteção da ciclovia e o restante, aproveitado na Avenida da Divisa, que liga a BR-153 ao aeroporto de Goiânia”, explica.

A ciclovia e o corredor preferencial do transporte coletivo

Atualmente, a ciclovia da T-63 já possui 3,5 quilômetros concluídos entre o Parque Anhanguera e a Praça Nova Suíça. Quando finalizado o novo trecho, os ciclistas terão mais 5,7 quilômetros de via prioritária para a circulação segura em Goiânia. “Estamos investindo na mobilidade levando em consideração os modais bicicleta e transporte coletivo, que garantem acesso e uso mais democrático aos espaços urbanos”, afirma Paulo Garcia.

Sávio Afonso, diretor técnico da CMTC, afirma que a ciclovia será integrada ao Terminal de ônibus Isidória, que possui bicicletário, promovendo acesso mais seguro aos ciclistas que desejem fazer a conexão com o transporte coletivo. Além disso, a ciclovia da T-63 também será integrada a duas ciclorrotas. De acordo com Sávio, os ciclistas poderão seguir até o Terminal Isidória, no sentido norte/sul, pela ciclorrota que sai da Praça Cívica, passa pela Avenida Cora Coralina e chega ao Setor Pedro Ludovico (no terminal).

Do Terminal Isidória, no sentido sul/norte, o trecho segue via ciclorrota pelas avenidas 90 e 84 até a Praça Cívica, onde há conexão com a ciclovia Universitária e também com o trecho cicloviário T-7, pela Avenida Gercina Borges. “Estamos tirando do papel o plano cicloviário de Goiânia com contribuições dos cicloativistas, e as pessoas já estão usufruindo desta nova infraestrutura”, garante o diretor técnico da CMTC.

Sávio Afonso avalia também que a implantação do corredor preferencial T-63 está garantindo maior fluidez aos ônibus e também mais facilidade e segurança aos ciclistas. “O corredor preferencial tem seis quilômetros, por onde passam 86 ônibus que realizam 562 viagens por dia”, pontua.

Ao permitir melhor circulação dos ônibus, a instalação do Corredor da T-63 ganhou a adesão das pessoas que usam o transporte coletivo, moradores e motoristas de veículos. Pesquisa realizada pelo Instituto Verus, em junho de 2015, aponta que 84,7% dos usuários apoiam os corredores.

O prefeito Paulo Garcia explica que o Corredor T-63 integra uma rede de circulação do transporte coletivo – vinculada aos demais corredores – que tem como objetivo aperfeiçoar o serviço com ganho no tempo de viagem e aumento de velocidade dos ônibus por toda a cidade. O projeto da Prefeitura de Goiânia reúne 14 corredores preferenciais, sendo que outros cinco corredores já estão com o projeto básico de tráfego concluído (T-7, T-9, Avenida 85, Avenida 24 de Outubro e Independência).

Fonte: Prefeitura de Goiânia