Goiânia: Para CMTC, melhorias ocorrem independente de reajuste

O presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Murilo Guimarães Ulhôa, afirma que não há atrelamento entre aumento da tarifa e melhorias no sistema de transporte coletivo da região metropolitana de Goiânia. Para ele, no entanto, isso não impede que elas aconteçam. Ulhôa indica que, desde 2014, houve implantação de câmeras de segurança em alguns ônibus, incremento de 2.069 viagens, retorno dos atendentes de terminais e inclusão de 95 novos ônibus na frota, que substituíram carros antigos.

Para o executivo, os investimentos em infraestrutura da Prefeitura de Goiânia, com a construção dos corredores preferenciais e do BRT, também vão elevar a qualidade do transporte em médio a longo prazos. A extensão do Eixo Anhanguera para as cidades de Goianira, Trindade e Senador Canedo também é listada como incremento no sistema. As próximas intervenções serão a reforma e ampliação do Terminal Vera Cruz, por parte do Consórcio da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC), e a construção do Terminal de Goianira, pela Metrobus.

O presidente da CMTC reforça que desde 2007 não havia mudanças tão grandes na infraestrutura urbana e de transportes e que a melhoria do uso viário é também a qualificação do transporte público. "O planejamento e os investimentos por parte das gestões públicas ainda são insuficientes para atender às crescentes necessidades das cidades. Segundo o BNDES, para que as cidades mais populosas tenham um transporte eficiente ainda seriam necessários investimentos de pelo menos R$ 234 bilhões até 2027”, afirma.

Fonte: O Popular