Goiânia: Consórcio privado deve administrar Eixo Anhanguera a partir de janeiro

O Eixo Anhanguera deve ser administrado a partir de janeiro por consórcio privado, tendo a Metrobus como sócia. Para isto, o governo enviou para a Assembleia projeto que autoriza sua estatal participar de consórcio privado de forma “majoritária ou minoritária”. 

Presidente da Goiás Parcerias, Cyro Miranda diz que a Metrobus deve ficar com até 50% de participação. “Esta operação deve começar em janeiro para que, em curto prazo, tenhamos significativas melhorias na maior linha de ônibus da capital, inclusive até suas extensão em Senador Canedo, Trindade e Goianira. Goiás é o único Estado a ter estatal nesta área. Não faz mais sentido”, diz. 

A Metrobus, que tem quase 300 servidores, deve ter sua estrutura enxugada em 2016. Apesar do projeto afirmar que o objetivo é reduzir custos para o Estado, Cyro Miranda diz que o subsídio das passagens de ônibus será mantido. “É uma determinação do governador Marconi. Será bancado com as contrapartidas das empresas que recebem incentivos fiscais em Goiás”, enfatiza.

Fonte: O Popular