DF: Rodoviários farão paralisação de quatro horas na manhã desta quarta-feira (16)

Os rodoviários no Distrito Federal vão cruzar os braços das 4h às 8h da manhã desta quarta-feira (16). Dessa vez, o Sindicato dos Rodoviários do DF afirma que a paralisação de quatro horas é por mais segurança nos coletivos e pela garantia do emprego dos cobradores, que segundo o sindicato da categoria está ameaçado.

De acordo com os rodoviários, as cooperativas e as empresas de todas a bacias que atendem o Distrito Federal aderiram à paralisação.

“O número de assaltos aos trabalhadores e usuários aumentou em 34% neste ano. Há uma ameaça de excluir os postos de trabalho dos cobradores. Essa paralisação é para mostrar que nós não vamos permitir o desemprego”, destacou Marcos Júnior Duarte, diretor de comunicação do Sindicato dos Rodoviários do DF.

Divergências

Apesar das motivações apontadas pelo sindicato, alguns rodoviários divulgam afirmações contrárias ao movimento nas redes sociais. Eles dizem que a paralisação é contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Rodoviário inteligente não participa dessa manifestação, pois os bandidos da CUT [Central Única dos Trabalhadores], que é uma célula do PT [Partido dos Trabalhadores], querem usar trabalhadores honestos”, diz uma das mensagens divulgadas nas redes sociais. Além disso, o fato de a paralisação ser em nível nacional reforça a desconfiança dos trabalhadores contrários à paralisação.

O DFTrans (Transporte Urbano do Distrito Federal) informou que a paralisação que não haverá reforço da frota de ônibus.

Repúdio

Por meio de nota, a Fecomércio/DF (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal) se manifestou contra a paralisação dos rodoviários.

Para a entidade, o comércio está vendendo cada vez menos ao ponto de muitos comerciantes desistirem do negócio e, com a paralisação, o setor pode ficar ainda mais prejudicado.

Segundo a federação, o ato prejudicará principalmente a população que mais depende do sistema de transporte coletivo para se locomover.

“Essa paralisação às vésperas do Natal prejudicará o comércio na sua data mais importante, justamente quando estamos tentando recuperar a queda nas vendas, fazendo um esforço gigantesco para criar vagas de trabalho temporárias e gerar mais renda para a cidade”, afirmou o presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana.

Fonte: Portal Fato Online