Goiânia: "Terminal Seguro" não evita tentativa de homicídio na capital

A falta de segurança no transporte coletivo da capital ainda é uma grande fonte de reclamação dos usuários do serviço. Devido o grande número de queixas, a Polícia Militar (PM) realiza desde a última quarta-feira (5) uma operação nos terminais do Eixo Anhanguera. No entanto, o problema não se restringe apenas às plataformas do Eixão. Ontem O HOJE esteve no terminal Isidória, e em poucos minutos colheu várias histórias de furtos no transporte coletivo.

A aposentada, Maria de Lourdes, de 68 anos, contou que nunca teve objetos furtados, mas já viu vários episódios. “Um dia desses uma mulher entrou com uma bolsa e três homens cercaram ela, já dentro do ônibus. Aí as pessoas começaram a gritar ‘a bolsa’, ‘a bolsa’, os rapazes se afastaram e desceram. O vigilante aposentado, José da Silva Luz, de 66 anos, já foi vítima. “Eu estava com uma bolsa grande, eu havia feito compras, eles puxaram a bolsa e saíram correndo. Perdi meu celular e outros objetos”, conta.

A costureira, Neusa da Silva Araújo, de 59 anos, conta que os marginais se aproveitam do tumulto na hora de embarque para praticar os furtos. O prejuízo dela foi um aparelho celular. “Hoje eu uso mais é bolsa pequena para evitar a ação deles”, explica.

Ontem, no Terminal Izidória, havia um vigilante. Pessoas que trabalham na plataforma informaram que a presença de policiais militares não é constante, “nem todos os dias eles passam aqui”, informou uma delas que garantiu que antes da extinção do Serviço de Interesse Militar Voluntário Especial (Simve) a presença dos policiais era diária com uma viatura todos os dias no local.

No dia 25 de julho deste ano, O HOJE publicou reportagem sobre assaltos em cabines do Eixo Anhanguera. De acordo com as atendentes os roubos são frequentes e os bandidos se aproveitam da ausência da PM e de vigilantes para levar o dinheiro.

Operação

Após várias queixas, a PM lançou uma operação para coibir a ação de marginais dentro dos terminais do Eixão. De acordo com o tenente-coronel, Clauber Freitas Andrade, que comanda o Batalhão de Eventos, cinco viaturas ficarão empregadas exclusivamente nos terminais Novo Mundo, Praça da Bíblia, Praça A, Dergo e Padre Pelágio. Ele disse ao O HOJE que na terça-feira foram feitas várias abordagens “seletivas”. “Cerca de 80% das pessoas abordadas tinha antecedentes por furto, roubo ou tráfico de drogas”, afirmou.

O tenente-coronel Clauber defende que a população dificulte a ação dos bandidos. “As mulheres às vezes andam com bolsas nas costas. A população precisa nos ajudar prevenindo os furtos”, pediu.

O Consórcio da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos da Grande Goiânia (RMTC) informou, por meio de nota, que tem uma parceria com a Secretaria da Segurança Pública (SSP) e com a PM para auxiliar no combate à criminalidade em ônibus e terminais geridos pela RMTC, o que não inclui os do Eixo Anhanguera, sob o domínio da Metrobus.

Consórcio mantém sistema

A nota informa que o Consórcio administra 13 terminais que contam com serviço de vigilância e Circuito Fechado de Televisão (CFTV) formado por 370 câmeras controladas em tempo real e ligadas a uma Central de Segurança que possui contato direto com o Comando de Operações da Polícia Militar (Copom).

Em março do ano passado, o Consórcio lançou um contato para denúncias via WhatsApp. Até julho deste ano, foram 3.200 denúncias que resultaram em mais de 160 detenções. Cerca de 60% – está relacionada a casos de ameaça à integridade física, como brigas, ação de torcidas organizadas, vandalismo, pessoas armadas, dentre outros.

Mulher é esfaqueada no Dergo

Mesmo ao lançar ação de segurança específica, a “Terminal Seguro”, com objetivo de empregar uma viatura de plantão diuturnamente em cada terminal de ônibus do Eixo Anhanguera, uma mulher de 21 anos foi esfaqueada no Terminal do Dergo, no setor Aeroviário, em Goiânia. O local é um dos pontos da ação da PM.

De acordo com a Polícia Militar, um homem teria dado um golpe de faca no lado esquerdo do tórax da jovem. A vítima foi encaminhada ao Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O autor do crime fugiu do local. No hospital, a mulher passou por cirurgia e está em observação na enfermaria. Segundo a assessoria do Hugol, o estado de saúde dela é estável.

Fonte: O Hoje