DF: Auditoria do Tribunal de Contas acha falhas no sistema de transporte coletivo

Uma auditoria do Tribunal de Contas do Distrito Federal encontrou uma série de problemas no sistema de transporte público da capital. Entre os itens apontados estão a falta de combate aos ônibus e vans piratas, falhas na integração, ausência de uma central de monitoramento dos coletivos e más condições nas paradas.

O procedimento foi feito pelo tribunal entre junho e dezembro de 2014. Para a corte, os passageiros não têm informações sobre o trajeto e a possibilidade de integração e acaba pagando duas vezes pela passagem.

“A auditoria identificou falhas. São falhas que o governo, seja ele qual for, tem que corrigir”, afirma o presidente do Tribunal de Contas do DF, conselheiro Renato Rainha.

De acordo com o levantamento, 43% das paradas de ônibus estão em condições ruins. A vistoria mostrou que nenhuma das 197 paradas de ônibus avaliadas tinha placa com as linhas e os horários. As informações que constam na página do DFTrans na internet estão desatualizadas, segundo a auditoria.

Os ônibus nunca chegam ou chegam atrasados, nunca estão aqui. É sempre essa fila desse tamanho”, afirmou a estudante Rafaela Rodrigues.

“Eles falam que tem um fiscal ali para explicar, mas a gente pergunta e eles são assim, a educação em pessoa”, disse a auxiliar de serviços gerais Claudenice Carvalho.

O secretário de Mobilidade, Carlos Tomé, diz que vai instalar placas nas paradas de ônibus e que em um mês começa a funcionar uma central de monitoramento para acompanhar por GPS toda a frota em atividade.

“Essa racionalização é dar essa maior inteligência para essas linhas, para evitar que mais de uma linha faça trajetos muito semelhantes. Hoje o que você tem são muitas linhas parecidas e com poucos ônibus em cada uma dessas linhas. A gente fazendo essa condensação, juntando essas linhas parecidas, a gente consegue colocar mais ônibus em cada linha e portanto dar mais frequência para as viagens.”

O GDF afirma que intensificou a fiscalização contra transporte pirata. De acordo com a pasta, já foram realizadas mais operações no primeiro semestre de 2015 do que em todo o ano passado.

Reprovação

Em junho, o Tribunal de Contas do enviou uma lista com exigências ao governo do DF depois de concluir que o sistema de transporte público da capital federal não era "confiável". As determinações são direcionadas à Secretaria de Mobilidade, ao DFTrans e ao Metrô. A publicação do documento no Diário Oficial do DF ocorreu na última quinta-feira (11).

A Corte elaborou um relatório para verificar a qualidade e a regularidade do transporte no DF. Foram analisadas três pontos do sistema: se o modelo era confiável e regular; se atendia a população de forma satisfatória; e se os investimentos realizados entre 2009 e 2014 foram suficientes para que o serviço fosse prestado de forma adequada.

O modelo de transporte do DF foi reprovado nos três segmentos. O relatório foi concluído em abril deste ano.

Fonte: G1 DF