Goiânia: Ônibus do BRT Norte-Sul vão circular em pavimento mais seguro e resistente

As obras do BRT Norte-Sul avançam ao longo da Avenida Goiás Norte, onde está sendo construída a via central para circulação do transporte coletivo. Na região entre a Praça do Violeiro e o Terminal Rodoviário de Goiânia, as estruturas asfálticas antigas estão sendo removidas para a implantação de uma nova estrutura.

Este trecho de 4,5 quilômetros receberá pavimento rígido composto por placas de concreto armadas, apoiadas sobre uma sub-base. Segundo o engenheiro da Unidade de Coordenação do BRT Norte-Sul, Benjamin Kennedy Machado da Costa, esta pavimentação possui alta resistência a deformações e vida útil superior ao asfalto (CBUQ).

Ele explica que o pavimento rígido demanda manutenção a cada 20 anos e o pavimento asfáltico precisa ser recapeado em períodos de cinco a dez anos. Outras vantagens são maior resistência à abrasão, alta aderência do pneu e menor risco de aquaplanagem, aumentando a segurança do tráfego. “A maior vantagem se deve à qualidade do material e também à espessura do pavimento, a canaleta central do BRT vai receber 23 centímetros de concreto, sendo que a capa asfáltica anterior tinha dez centímetros de espessura”.

Benjamin Kennedy comenta que as equipes responsáveis pela execução da obra já retiraram parte o asfalto anterior e estão montando a base e sub-base. Elas darão suporte à nova pavimentação, que será aplicada nos próximos dias.

O planejamento das obras também prevê a recuperação das vias laterais ao eixo do BRT Norte-Sul, a construção dos novos pontos de embarque e desembarque, trechos cicloviários e calçadas acessíveis ao longo de todo o trecho.

O itinerário total do BRT passa pela avenidas Rio Verde, 4ª Radial, 1ª Radial, Rua 90, Praça do Cruzeiro, rua 84, rua 82 (Praça Cívica), Avenida Goiás, Praça dos Trabalhadores, Avenida Goiás Norte, Avenida Horácio Costa e Silva, Rua Tapuios, Avenida Genésio de Lima Brito, Avenida dos Ipês, Avenida Lúcio Rebelo, Rua Oriente e Avenida Mangalô.

A previsão é de que o projeto seja concluído em 18 meses. A construção do BRT Norte-Sul está sendo executada pelo consórcio das empresas Isolux, EPC e WVG, desde o dia 20 de maio. A próxima etapa da obra é a construção da trincheira entre as avenidas Rio Verde e Tapajós, que deve começar em até 30 dias. Ao longo da obra, serão ainda construídas mais duas trincheiras - na Rua 90 com Avenida 136 e na Avenida Goiás Norte com Perimetral Norte, que vão garantir aos ônibus articulados uma viagem mais rápida e segura.

Os terminais de integração serão totalmente reformados com as obras do BRT Norte-Sul. A conexão dos ônibus acontecerá em seis terminais, sendo que três novos serão construídos na região dos Correios, na Vila Brasília, Rodoviária e Avenida Perimetral. Os terminais Isidória, Recanto do Bosque e Cruzeiro passarão por ampla reforma e 39 estações de embarque e desembarque também serão construídas.

Investimento histórico

Orçado em R$ 242,4 milhões, o BRT Norte-Sul é realizado com recursos do Governo Federal, pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) - Mobilidade Grandes Cidades. Considerado o maior projeto de mobilidade urbana da história do Estado, ele vai atender diretamente 148 bairros de Goiânia e também de Aparecida beneficiando cerca de 120 mil usuários por dia.

O prefeito Paulo Garcia diz que o BRT terá 21,8 quilômetros de extensão, ligando as regiões Norte e Sul, sendo que a concepção geométrica da via exclusiva garantirá mais agilidade para os veículos. A operação do BRT será com ônibus articulados e vai permitir um avanço na velocidade de circulação do transporte coletivo, que atualmente é 14 km/h e passará para mais de 25 km/h. Os passageiros também terão mais conforto com ar condicionado, novos terminais e plataformas de embarque e desembarque.

Fonte: Prefeitura de Goiânia