Goiânia: Eduardo Machado confirma saída da Metrobus

O presidente da Metrobus, Eduardo Machado, confirmou ao Jornal Opção Online que vai deixar a estatal. O motivo é a insatisfação com a burocracia do trabalho e a incompatibilidade com a área. Segundo o também presidente nacional do Partido Humanista da Solidariedade (PHS), não há divergência com o governador Marconi Perillo (PSDB) e o partido continua na base governista. “Não muda nada. Saio por vontade própria”, explica.

“Gosto de fazer política. Ficar envolvido apenas com questões administrativas não tem a ver comigo. Deixei a empresa de minha família [Concessionária Jorlan] justamente por esse motivo, então, não faz sentido continuar”, justificou ele. Outro motivo que o levou à decisão é o fato de que o trabalho o atrapalha nas articulações do PHS. “Nesta semana tive que ir a Brasília e a Curitiba para eventos que eram imprescindíveis. Fora os outros que perco porque estou envolvido na Metrobus”, completou.

Esta não é a primeira vez que Eduardo Machado pede para ser exonerado da Metrobus. Consta que pelo menos outros três pedidos formais foram feitos ao tucano-chefe — que insistia na permanência do presidente. No entanto, desta vez, é definitivo: “Não tem como eu ficar mais, anunciarei minha saída neste fim de semana”.

De acordo com informações publicadas na coluna Bastidores nesta sexta-feira (12/6), Eduardo entregou a carta de demissão ao secretário de Cidades e Infraestrutura, Vilmar Rocha (PSD), nesta manhã. “Vilmar me pediu para que esperasse o governador voltar de viagem”, confirmou ele.

Fonte: Jornal Opção