DF: Publicidade em espaços do Metrô-DF pode ser vista por até 160 mil pessoas por dia

A Companhia Metropolitana do Distrito Federal (Metrô-DF) cadastrou até agora 20 empresas de comunicação com interesse em comercializar, nas estações e no interior dos trens, espaços destinados a propaganda — locais que podem ser vistos, em média, por 160 mil pessoas diariamente. Além disso, uma agência de publicidade fechou contrato no valor aproximado de R$ 113 mil, com validade de 60 dias, o que lhe dará direito a instalar anúncios em 16 estações.

As discussões para colocar em prática essa e outras medidas que aumentem o caixa do Metrô — e ao mesmo tempo tornem a empresa superavitária — começaram no início desta gestão. A ideia, segundo o diretor financeiro e comercial da companhia, Gilberto Pompilio de Melo Filho, é fazer com que o subsídio passado pelo Executivo local para ajudar a manter a empresa seja cada vez menor.

O gasto anual para assegurar o funcionamento do Metrô é de R$ 368 milhões, e a arrecadação, de R$ 120 milhões. O montante que falta é subsidiado. "Se o governo gasta menos com o transporte, essa é uma verba que fica livre para ser aplicada em outras prioridades", destaca o diretor.

Regras e opções

O processo de comercialização dos espaços publicitários no Metrô começou em 16 de abril. De acordo com Gilberto Pompilio, por ser uma novidade, a iniciativa está em fase de aprimoramento, e é possível que haja mudanças no decorrer do processo. Para colocação de painéis, podem se habilitar agências de publicidade e propaganda de todo o País — conforme determinado no Conselho Executivo das Normas-Padrão. Empresas de outros ramos, devidamente estabelecidas e registradas na forma da legislação vigente, também estão aptas ao credenciamento, para ações comerciais.

Para que a publicidade de um circuito contratado seja afixada, basta que a agência informe à companhia o interesse de algum cliente pelos lugares disponíveis. A comercialização dos mais de 2,5 mil espaços planejados para receber os anúncios poderá render até R$ 3,5 milhões ao Metrô-DF. Nesse valor estão incluídas outras opções a serem exploradas, em breve, como o envelopamento dos trens com anúncios publicitários e o aluguel de quiosques e lojas.

Entre os lugares destinados à publicidade, há 400 para painéis nas estações, 700 em trens, 1,3 mil em sancas (painel logo acima da janela, com 2,20 metros de largura e 20 centímetros de altura, na parte curva do teto) e 250 em cabeceiras (partes internas nos fundos dos trens). Nos terminais, serão utilizados espaços como pisos, paredes e escadas rolantes.

Os interessados ainda têm a opção de promover projetos especiais em um dos espaços mantidos pelo Metrô, como o Centro Administrativo e Operacional, em Águas Claras. Nesse caso, a proposta deve ser apresentada à companhia, que avaliará os impactos da ação antes de autorizá-la.

Com duração máxima de 180 dias, os contratos são prorrogáveis por uma vez, pelo mesmo período. Terão preferência as empresas que se cadastrarem primeiro. O registro é válido por um ano. Quem tiver interesse em alugar um dos locais oferecidos deve entrar em contato com a Divisão de Captação e Desenvolvimento de Produtos.

Segurança dos usuários

Segundo Gilberto Pompilio, além da continuidade do serviço, a segurança e a comodidade dos usuários vão ser priorizadas em todo o processo de instalação das propagandas. O passageiro que se sentir prejudicado poderá entrar em contato com o Metrô e informar os problemas que constatou depois da afixação das publicidades. Os anúncios não poderão atrapalhar a comunicação visual da companhia nem as informações sobre o funcionamento do sistema. "Nossa prioridade é o bem-estar de quem precisa do transporte", resume o diretor.

Regulamento para exploração de espaços publicitários do Metrô-DF

Informações nos seguintes documentos:




Contato da Divisão de Captação e Desenvolvimento de Produtos: (61) 3353-7064

Fonte: Agência Brasília