Goiânia: ONG acompanhará obras do BRT Norte/Sul em Goiânia

As obras do corredor para o ônibus de trânsito rápido (Bus Rapid Transit ou BRT, na sigla em inglês), agora têm o acompanhamento do Observatório Social de Goiânia, na qual, voluntários fiscalizam todo o andamento da obra. Após averiguação, a associação já enviou uma representação ao Ministério Público (MP), alegando a falta de um fiscal até o local no canteiro para verificação da licença ambiental provisória. Porém, ainda existe um prazo até o final deste mês para finalizar todas as providências necessárias e começar as obras nas pistas.

Apesar do ofício que foi enviado pela associação antes da entrega ao MP, não obter resposta da Prefeitura, da Câmara de Vereadores e da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), a presidente da Organização Não Governamental (ONG), Lorena Silvério Pereira Mendonça, alega que apresentou a associação a todos estes órgão, e eles se mostraram dispostos a contribuir no serviço de transparência sobre seus projetos.

Apesar de quatro adiamentos, a obra que estava prevista para iniciar na segunda quinzena de abril, ou seja, após os 30 dias da ordem de serviço assinada pela Presidente Dilma Housseff (PT) juntamente com o Prefeito Paulo Garcia (PT), está ainda no processo de roçagem do canteiro central na Avenida Goiás Norte, entre a Praça dos Violeiros e o cruzamento com a Avenida Perimetral Norte.

De acordo com o coordenador do BRT Norte-Sul de Goiânia, Ubirajara Alves Abbud, a próxima fase será chamar os moradores, das casas que serão desapropriadas para negociarem. Depois haverá a sinalização dos desvios que serão feitos, para então só aí começarem a construção na pista. “As obras não estão na velocidade que gostaríamos”, confessa.

Sobre os adiamentos e licença, ele explica que ainda está no tempo determinado legal, apesar de iniciarem no último dia do prazo a primeira etapa, do canteiro central. “A empresa responsável alegou que irá recuperar o atraso lá na frente, esperamos que ocorra assim”, analisa Ubirajara. Os desvios, segundo ele, serão no trecho da Avenida Goiás Norte, próxima a Praça dos Violeiros, e entre Goiânia e Aparecida de Goiânia, na Avenida Rio Verde com Tapajós.

Fiscalização

O Observatório Social do Brasil, que existe em 98 cidades por todo o país, está desde o final do ano passado em Goiânia, e já ajudaram a economizar mais de 300 milhões de reais em outras cidades nos seus 10 anos de formação, garante a presidente Lorena. Com o objetivo de monitor as compras públicas em nível municipal. “Assim agimos preventivamente no controle social dos gastos públicos, ou seja, premeditando a corrupção”, explica a Secretária Executiva da associação, Natália Yoshimura Lopes.

O próximo passo da associação será a criação de um núcleo de práticas, dentro de faculdades, onde os estudantes voluntários de cursos como engenharia, ou com relação a área, poderão acompanhar as obras do BRT de perto. Além disso, com as nove comissões, cada uma se aprofundando em uma área, como saúde, e meio ambiente, entre outras, também terá uma comissão para qualquer pessoa que queira participar faça parte. “O cidadão é dono do seu município, as pessoas têm que saber que é possível a fiscalização social, como por exemplo, verificar os recursos para seu bairro. Podemos fazer mais do que reclamar da corrupção, fazer parte do processo evitando atos ilícitos”, conclui a presidente do Observatório.

Fonte: O Hoje