DF: Um ano após entrega, viaduto na W3 Sul passará por reforma

O viaduto no final da W3 Sul e do Setor Policial, em Brasília, vai passar por uma reforma programada para começar após o período chuvoso na capital. O objetivo é criar uma saída segura para viaturas do quartel do Corpo de Bombeiros, que fica ao lado do viaduto.

As obras serão realizadas pela Novacap e devem durar uma semana. A mudança no trânsito já foi aprovada pelo Detran. O viaduto foi inaugurado inacabado pelo governo em 20 de junho do ano passado ao custo de R$ 20 milhões, apesar de o tráfego para veículos ter sido liberado cerca de um mês antes.

Os bombeiros contam com uma saída direta na via principal do viaduto na direção da L4 Sul e do aeroporto. Entretanto, segundo o comandante do quartel, major Paulo Leal, ela foi desativada após a conclusão das obras por iniciativa da corporação devido aos riscos de acidentes. Antes da reforma concluída no ano passado, o cruzamento contava com um semáforo controlado pelos militares.

"Essa obra foi iniciativa nossa mesmo, pois está muito perigoso. Agora a recomendação é usar somente a saída pelo antigo terminal de ônibus da Asa Sul, que foi desativado. Ela está sendo utilizada desde a primeira quinzena de fevereiro. Do jeito que ficou, um sinal é inviável, segundo o Detran, então pedimos para mudar um pouco a rua."

Modificações

Um trecho na lateral do quartel, identificado como número um na imagem acima, será demolido e substituído por grama. Uma alça será construída para ligar a saída dos bombeiros com a pista de acesso à W3 Sul. No sentido para a L2 Sul e o aeroporto será feita uma faixa de aceleração para que as viaturas da corporação não tenham que entrar diretamente na via principal do viaduto.

Acidente

Um ônibus do próprio Corpo de Bombeiros foi parar em cima de um carro dirigido por um sargento da corporação após uma batida no viaduto no final da tarde do último dia 28.

O sargento teve ferimentos leves na cabeça e no tórax, foi encaminhado pelos bombeiros para o Hospital de Base e liberado logo depois.

O condutor do ônibus, que estava vazio e é usado pela área administrativa da corporação, não se feriu. Uma perícia foi realizada no local para apurar as causas do acidente.

Construção do viaduto

Graças a um acordo com o Metrô, a Secretaria de Obras passou a ser responsável pela conclusão do viaduto. Ele fazia parte da obra Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A execução do VLT, paralisada desde setembro de 2010, é de responsabilidade do Metrô.

O VLT teve as obras suspensas pela Justiça e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) cinco vezes antes da anulação do contrato pela 7ª Vara de Fazenda Pública do DF, em abril de 2011.

Em setembro de 2013, foi publicada no Diário Oficial da União a resolução que oficializou a retirada da obra do VLT do Distrito Federal da Matriz de Responsabilidades da Copa do Mundo, que tratava das áreas prioritárias de infraestrutura das 12 cidades que receberam os jogos do Mundial de 2014, como aeroportos, portos, projetos de mobilidade urbana, estádios e hotelaria.

Fonte: G1 DF