DF: Cai número de assaltos a coletivos, mas população e profissionais das empresas continuam inseguros

Os casos de assaltos a coletivos diminuíram no primeiro trimestre de 2015, se comparado com o mesmo período do ano passado. Os dados, liberados pela Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social, mostram que foram registrados 210 casos a menos que no mesmo período de 2014. De janeiro a março deste ano, foram 510 ocorrências contra 711, totalizando uma redução de 28,3%. Em todo o ano passado, foram registradas 2.254 ocorrências de roubos em coletivos.

Mesmo com a diminuição do número total de registros nestes meses, a população ainda se sente insegura. Andreina Soares, estudante de 14 anos, evita sair de ônibus em alguns horários. “Nunca fui assaltada porque evito andar de coletivo de noite. Minha mãe já foi assaltada na parada de ônibus perto de casa. Realmente, nunca tem como saber se seremos os ‘escolhidos’ do dia”, conta.

Para Danilo Roger, cobrador de 55 anos que trabalha na linha “Plano – Ceilândia Norte”, os dados e a realidade são completamente diferentes. “Melhorou em que? Para mim, que trabalho todos os dias aqui dentro [do ônibus], não mudou em nada. Não tem policiamento e os roubos são constantes. Na linha em que trabalho são, no mínimo, 6 por semana. Lamentável”, afirma.

Ainda de acordo com a Secretaria, entre todas as regiões administrativas, Ceilândia registrou o maior número de ocorrências no trimestre, um total de 142, seguida de Samambaia, com 113 e Estrutural, com 45 registros. Algumas regiões como Núcleo Bandeirante e Fercal não apresentaram ocorrências. Vicente Pires e São Sebastião, por exemplo, têm apenas um caso cada uma.

Para combater os roubos a coletivos, a Polícia Militar do Distrito Federal lançou na terça-feira (5) a Operação Rosácea, que reforçará o policiamento em todas as regiões administrativas com 300 policiais até domingo (10). Segundo o comandante do Departamento Operacional da PM, coronel Mauro Lemos, a corporação realiza 1,5 mil abordagens em ônibus por mês. A PM projeta que os roubos a coletivo tenham redução de 20% até o fim do ano.

Fonte: Jornal Alô Brasília