Goiânia: Moradores da Região Noroeste reivindicam que o BRT se estenda até bairros da área

O presidente da Associação de Moradores do Bairro Floresta (Asmof), Josimar Soares Reis, visitou o Diário da Manhã a fim de reiterar um pedido já realizado ao prefeito Paulo Garcia e à Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC). Ele solicita a extensão do trajeto do BRT, ou seja, que o transporte possa atender também os bairros da Região Noroeste de Goiânia como o Floresta, Boa Vista e São Domingos.

Ele afirma que moram na região mais de 100 mil pessoas e que a extensão do Eixo Norte-Sul até o local irá desafogar o Terminal Padre Pelágio, bastante tumultuado e movimentado. O presidente afirma que pessoas já teriam se machucado, quebrando braço ou perna devido ao empurra-empurra que ocorre no terminal de ônibus.

Atuação

O presidente da Asmof entregou em 2011 um ofício à CMTC solicitando a extensão. Na época o presidente do órgão era José Carlos Xavier. “Na gestão dele e do Ubirajara [Ubirajara Alves Abbud, coordenador do Programa de Transportes], eles me prometeram essa viabilidade, me deram uma resposta de estudar a possibilidade, conforme solicitado pela associação”, cita.

Josimar entregou no último dia 19 outro ofício à Companhia com a solicitação de que fosse estudada a viabilidade de estender a linha do Eixo Norte-Sul, atendendo também os bairros Floresta, Boa Vista, Curitiba III e São Domingos, com ponto final na Avenida dos Ipês. O presidente da Asmof explica que o BRT vai melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores que saem da região Noroeste da Capital e também dos moradores da região.

Ele afirma que o prefeito Paulo Garcia prometeu, em 2014, alongar a Goiás Norte, e questiona o motivo de não realizar a extensão do Eixo Norte-Sul até a Região Noroeste, ação que irá melhorar a vida dos moradores. “Eu queria muito que a CMTC e o prefeito Paulo Garcia nesse momento ficassem sensíveis ao atendimento dos moradores da Região Noroeste. Ali os moradores estão sofrendo com o transporte”, finaliza.

BRT

O Bus Rapid Transit ou Transporte Rápido por ônibus (BRT) é um meio de transporte que circula em linhas exclusivas. Ele proporciona embarque e desembarque em estações e o pagamento da passagem antes de entrar no ônibus, além de maior velocidade e menor tempo de viagem para os passageiros.

A ordem de serviço para o início das obras em Goiânia foi assinada pela Presidente Dilma Rousseff no dia 19 deste mês. As obras estão previstas para iniciar em Abril e irão durar 20 meses. A construção tem custo previsto de R$ 340 milhões, sendo R$210 pelo Governo Federal e R$130 pela Prefeitura de Goiânia.

Com 21,8 quilômetros de extensão, O BRT Norte-Sul vai ligar a Região Noroeste (Recanto do Bosque) à Região Sul (no terminal de integração Cruzeiro do Sul, Aparecida de Goiânia), atendendo diretamente a 148 bairros de Goiânia e Aparecida. Serão seis terminais de integração, sendo três novos (Correios, Rodoviária e Perimetral), dois reconstruídos (Isidória e Recanto do Bosque) e um adaptado (Cruzeiro), além de 39 estações de embarque e desembarque.

A linha irá contar com 93 ônibus, sendo 28 articulados e 65 convencionais e terá capacidade para anteder 120 mil passageiros por dia, com média de atendimento de 15 mil por hora em horário de pico.

Fonte: Diário da Manhã