DF: Protesto por transporte público fecha a DF-250, em Sobradinho

Moradores do núcleo rural Sobradinho dos Melos, no Paranoá, fecharam por volta de três horas no início da manhã desta terça-feira (3) o trecho da DF-250 que dá acesso à região em protesto por mais linhas de ônibus de transporte coletivo. O bloqueio começou por volta das 5h40 e foi realizado com a ajuda de entulho e pedaços de madeira, mas não chegaram a queimar os itens.

Quatro viaturas da Polícia Militar acompanharam a manifestação, e não houve conflito no local. Os manifestantes alegam que uma única linha atende a região, que liga o núcleo rural ao centro do Paranoá. Ainda de acordo com o grupo, formado aproximadamente por 60 pessoas, os ônibus não passavam por Sobradinho dos Melos havia 35 dias.

A merendeira Zelda Pereira, de 45 anos, afirmou que os moradores de Sobradinho dos Melos ficam sem alternativa para sair da região. "O ônibus passa na hora que quer. Não tem como sair daqui. Tem mãe de família perdendo emprego porque não tem como ir trabalhar", disse. "Quem não tem carro, tem que sair a pé ou pegar carona com desconhecidos."

A servidora Regina Barbosa, de 55 anos, trabalha em uma escola da região e disse que no ano passado alunos ficaram sem merenda por falta de funcionários, que não conseguiu chegar até lá. "Compromete a escolinha porque os alunos ficam sem lanche já que as merendeiras não conseguem chegar na escola por falta de transporte."

Para a corretora Luciene Borges, de 49 anos, além da falta de transporte, também falta investimento nos ônibus. "É um descaso. Ninguém faz nada porque o governo não nos reconhece. Quando vem ônibus, eles estão com pneu carecas, sem freio, as vezes o motorista tem que fazer remendo", afirmou.

A via do protesto é utilizada por motoristas do Itapoã, Paranoá e Planaltina. Como não há via marginal à pista, o trânsito estava congestionado no local por volta de 7h. Muitos motoristas desceram dos carros e caminharam pela DF-250.

O núcleo rural tem cerca de 6 mil moradores, que vivem da produção de hortaliças.

Fonte: G1 DF