DF: Metrô-DF apresenta nova diretoria

O presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado, apresentou oficialmente na manhã desta sexta-feira (23), a nova direção da Companhia. As quatro diretorias da empresa foram ocupadas por mulheres. E, pela primeira vez, uma servidora de carreira da Casa ascendeu ao posto de diretora. Foi o caso de Daniela Diniz, que assumiu a Diretoria Técnica. As outras pastas ficaram sob a responsabilidade de Glória Beatriz Gama (Diretoria de Administração), Rita de Cássia Leal (Diretoria Financeira e Comercial) e Sandra Pontes (Diretoria de Operação e Manutenção).

A solenidade, que deu posse à diretora de operação e manutenção – as outras já haviam tomado posse – contou com a presença dos secretários de Infraestrutura, Júlio Cézar Peres, e de Mobilidade, Carlos Henrique Rubens Tomé Silva.

Antes de iniciar a apresentação, Marcelo Dourado presenteou os secretários de estado com a camisa do Metrô-DF e ambos fizeram questão de vestir, literalmente, a camisa antes de falar com o público presente.

O secretário de Infraestrutura, Júlio Cézar Peres, garantiu que a Secretaria estará presente em tudo o que o Metrô-DF precisar. Enquanto o secretário de Mobilidade, Carlos Tomé, ressaltou que o Metrô-DF é parte importante dos planos de mobilidade de Brasília.

"Todos os compromissos assumidos ao longo da campanha pelo governador Rollemberg serão cumpridos. E a mobilidade é parte importantíssima nesse processo", afirmou Tomé. "Essa é uma das premissas do Plano de Governo, dar ao trabalhador o direito de ir e vir com rapidez e segurança", completou o secretário de Mobilidade.

A diretora de administração, Glória Beatriz Gama, afirmou ser um prazer fazer parte de uma diretoria formada por mulheres e garantiu que, em breve, fará um tour pelos departamentos da empresa para conhecer todos os empregados.

Rita de Cássia, diretora financeira e comercial, falou em nome das demais diretorias. Ela lembrou que o sonho de qualquer gestor é chegar a um lugar com funcionários dedicados, profissionalizados, e escolhidos por critérios sérios de seleção.

"A razão principal de uma crise está na cabeça e não no corpo. Cabe à diretoria, estabelecer diretrizes e métodos para que, no futuro, a empresa seja entregue com uma estrutura fortalecida para melhor atender à população", afirmou Rita de Cássia.

Fonte: Metrô-DF