DF: Equipamentos antigos e falhas elétricas causaram problemas, diz Metrô

Em reunião na manhã desta sexta-feira (23/1), a diretoria do Metrô-DF concluiu que falhas mecânicas e elétricas causaram os problemas em três trens na noite anterior. Com isso, descartam-se erros da Companhia Energética de Brasília (CEB) e interferência das fortes chuvas. Para melhorar a situação, prometeu-se criar um núcleo de antecipação de crise, intensificar a manutenção e modernizar o sistema.

A primeira pane foi registrada entre as estações Águas Claras e Arniqueiras, às 18h04, quando o cabeamento elétrico do motor falhou e fez o trem perder tração. Segundo o Metrô-DF, por falta de manutenção nos equipamentos, adquiridos em 1994, que deveriam ter sido trocados. O sistema ficou fora do ar por 35 minutos.

Restabelecida a situação, mais problemas. Por volta das 19h40, um outro trem teve curto circuito no motor e três explosões assustaram os passageiros. Isso aconteceu devido ao acionamento de um dispositivo para cortar a corrente elétrica em casos de brusca elevação de energia. O equipamento é o mesmo do outro carro defeituoso.

Usuários entraram em pânico, quebraram janelas e saíram pelos trilhos após ficarem 40 minutos dentro dos vagões. Uma idosa passou mal e teve de ser encaminhada para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e quatro pessoas, sendo um cadeirante, precisaram de auxílio para deixar o local. Logo atrás, outro trem que seria utilizado para a remoção do que havia explodido também apresentou problemas. Os carros foram recolhidos.

As chuvas alagaram duas estações: Concessionária e Praça do Relógio. A segunda teve de ser fechada durante uma hora. O sistema só voltou ao normal, de fato, por volta das 22h30. Indignados, passageiros enviaram mensagens pelo Whatsapp do Correio com relatos de espera de mais de duas horas nas estações. Após a reunião desta sexta, o Metrô afirmou que está prevista licitação para a compra de 10 novos trens no primeiro semestre de 2015, além da ampliação das estações.

Fonte: Correio Braziliense